Imortal ou ser Eterno

Não somos imortais mas podemos ser eternos...


Nossa eternidade se garante em nossas obras, esperança e em nossos desejos de como fomos aqui lembrados. Mesmo que não sejamos imortais, podemos imaginar a Eternidade - Naquilo em que fazemos e vivemos, na recusa da falência da Esperança, na possibilidade de entender aquilo que nos ajuda a existir de maneira mais plena.


O que Fazemos na vida ecoa por toda a Eternidade!

A ideia de uma capacidade de ter a percepção de não desistir, de ir buscar, de procurar é algo decisivo. É preciso ter Esperança, mas tem que ser Esperança no verbo Esperançar, pois grande parte das pessoas tem a Esperança no verbo Esperar! E a Esperança no verbo Esperar nunca será Esperança e sim - Espera - Espero que melhore, Espero que Resolva, etc...


Esperançar é ir atrás, não desistir é ter uma postura ativa em relação aquilo que pode nos perturbar enquanto vivos, afinal o que mais um ser vivo deseja é permanecer vivo!


Se essa vitalidade nos honra, ainda for digna e não nos machucar, neste sentido é claro que o sentido da vida se coloca na possibilidade de tê-la naquilo que ela pode ser de plenitude, naquilo que impede algo decisivo. A vida é muito curta para ser pequena - A vida de fato é curta e a única coisa que levamos da vida é a vida que aqui levamos! Com nossas condições, com nossas esperanças, com todas as nossas turbulências e dificuldades, mas sem nos acovardar e sem desistir.


Um dia pronto! Nós deixamos de viver - Mas deixamos de viver não quando morremos, mas quando temos mortes cotidianas de nossas esperanças e do afeto, deixamos de viver quando morre nossa capacidade de amorosidade, solidariedade e fraternidade.


A tragédia, não é quando o ser humano morre - A tragédia é aquilo que morre dentro de nós enquanto ainda estamos vivos.


E o que é que não pode morrer? A Esperança - Aquilo que a gente emana - A Esperança como Condição de Imaginar que a Vida é Curta demais para ser Pequena.


Imortais nós não somos, mas eternos poderemos ser! Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora a criar um novo fim!


É necessário acima de tudo que a gente não esqueça de nossa capacidade de Esperançar, da capacidade de um dia quando nos formos, ser possível de nos lembrarem em um epitáfio...

Eu Não Estou Aqui... - Mas sim na Eternidade!

Em razão disso, podemos dizer que a morte traz a eternidade, mas só teremos eternidade quando matamos nosso “eu pecador”.

Portanto, o problema está na morte interna, que vem do pecado e nos afasta da eternidade. Porém, a morte que sepulta o "eu pecador", é capaz de lhe fazer viver para sempre. Então, o que está esperando? Mate o velho eu pecador que existe dentro de você e deixe o novo curtir a vida eterna!

34 visualizações0 comentário

Contato

© 2020 Criado por Optar.Corp

Optar.Corp